Porto Alegre | RS | 51 3331.5423 | judithvscliar@gmail.com

Warning: Use of undefined constant simple_breadcrumb - assumed 'simple_breadcrumb' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/scliar/public_html/judithscliar.com/wp-content/themes/jscliar/index.php on line 7
10 dicas sobre estágios nos EUA

Como se preparar para estágios e residências médicas no exterior na área médica? Confira as dicas dos meus alunos Graziella Paniz e Alexandre Mazzocato.

Dicas da Dra. Graziella Paniz

  1. Sempre é mais fácil conseguir um estágio quando temos um contato ou referência direta. Se você o tem, use-o.
  2. A maioria das Universidades ou hospitais que oferecem programas de estágios possuem informações valiosas em suas páginas na internet, desde os programas disponíveis à pessoa responsável pelo departamento. Procure sempre pelo setor de ensino.
  3. Algumas universidades e hospitais afiliados são mais receptivos e possuem programas específicos para médicos e estudantes estrangeiros, como é o caso do Jackson Memorial Hospital/ University of Miami na Flórida, por exemplo.
  4. Programe-se. Nos EUA existem duas modalidades de estágio principais: os observerships e os clerkships. Cada um deles com suas exigências e pré-requisitos.
  5. Prepare-se. Para não fazer feio e para um melhor aproveitamento do estágio, é importante um bom conhecimento e entendimento da língua bem como uma boa compreensão dos termos médicos em inglês. A maioria exige pelo menos um teste de proeficiência na língua, uma entrevista oral ou pelo menos o step 1 feito.
  6. Se puder, evite os meses de férias e alta temporada como julho e dezembro pois a procura por vagas de estágio por estudantes americanos (e até mesmo estrangeiros) aumenta muito nesse período.
  7. Solicite seu estágio com antecedência. Além de aumentar suas chances de ser aceito, dá tempo de correr atrás de todas as pendências. A maioria dos serviços solicita registro de imunizações, seguros de saúde, currículo em inglês atualizado, histórico escolar e diploma (para aqueles já formados) entre outros.
  8. Mostre interesse. Tire o máximo que puder dos seus preceptores, residentes e fellows – eles normalmente são muito dispostos a ajudar mas o interesse e a iniciativa parte de cada um de nós.
  9. Esteja preparado para ser cobrado; teoria, prática médica, relação interpessoal, pontualidade, assiduidade, interesse…tudo conta!  Você faz parte da equipe e deve se portar como tal.
  10. Aproveite a experiência ao máximo. Os EUA contam com um sistema de saúde e de ensino totalmente diferente do nosso no Brasil. Assim como em qualquer lugar tem suas falhas e suas qualidades.

Dra. Graziella Paniz, que acaba de concluir sua residência médica em medicina interna na Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre. Ela realizou em 2015 um estágio no Jackson Memorial Hospital em Miami. A Graziella foi minha aluna em um grupo de jovens médicos durante um ano.

Dicas de Alexandre Mazzocato

Perfil favorável:

  • Domínio de Inglês (8-10)
  • Situação financeira favorável
  • Vontade e paciência
  • Quanto menor o hiato após formado, melhor.

Passo 1) Determinar a eligibilidade: https://imed.faimer.org/

Se a sua faculdade de medicina não constar neste site, não será possível revalidar o diploma.

Passo 2) Realizar as provas necessárias para validar o diploma (se tornar “ECFMG certified”), sendo elas o USMLE Step 1, USMLE Step 2 CK e USMLE Step 2 CS.

– Inscrição pelo site www.ecfmg.org/, mais especificamente pelo link https://secure2.ecfmg.org/emain.asp?app=iwa, e após iniciar o processo, acompanhar pelo site https://oasis2.ecfmg.org/

– Iniciar o processo pela internet não tem custo. Entretanto, sua faculdade (ou você em nome dela) terá de enviar um documento oficial chamado Form 183 para os Estados Unidos, para que possam confirmar que você é aluno de medicina no Brasil.

– Após ter sua inscrição confirmada, é hora de se inscrever para as provas. Inscrever-se para cada uma das provas tem custo.

– Custos:
Step 1 $ 1,030.00
Step 2 CK $ 1,050.00
Step 2 CS $ 1,535.00

– O Step 1 e o Step 2 CK são PROVAS TEÓRICAS, que podem ser realizadas em um dos centros da PROMETRIC (uma empresa contratada pelo USMLE para aplicá-la fora dos Estados Unidos) no Brasil. Não há centros em Porto Alegre. Há um centro em Curitiba e um em São Paulo. Essas duas provas tem uma NOTA QUANTITATIVA. Quanto maior a nota, melhor. Essas duas provas são compostas de 7 blocos de 46 questões (num total de 322 questões), cada bloco durando 1 hora. Em média, o aluno tem 1 minuto e 17 segundos para resolver cada questão.

– O Step 2 CS é uma PROVA PRÁTICA, realizada com ATORES, e deve ser realizada nos Estados Unidos (há apenas 5 cidades que oferecem essa prova em todo o país). A avaliação nesse caso é qualitativa, isso é, você é APROVADO ou REPROVADO, sem nota. Essa prova é composta de 12 casos clínicos, em que o aluno deve fazer anamnese e exame físico, além de dar informações ao paciente (como uma consulta real) em 15 minutos, e, após, preencher a ficha da consulta (hipóteses diagnósticas, achados importantes, exames a serem solicitados) em 10 minutos.

– Essas três provas PODEM SER REALIZADAS ANTES OU DEPOIS DE SE FORMAR.

– Enquanto “compra” a sua prova, você deve ESCOLHER UM PERÍODO DE 3 MESES (de 01 de Janeiro a 31 de Março, por exemplo) para ser o seu “período de prova”. Após pagar o valor da prova, você ganha, após algumas semanas, um documento eletrônico denominado SCHEDULE PERMIT. Esse documento permite que, DENTRO DAQUELE PERÍODO DE 3 MESES PREVIAMENTE DEFINIDO, você marque o dia e a hora de sua prova. No caso dos Steps 1 e 2 CK sendo realizados no Brasil, essa marcação ocorre no site da Prometric. (Não sei como funciona o uso do Schedule Permit para o Step 2 CS, mas suponho que seja semelhante).

– Até 1 mês antes, você pode adiar a prova (dentro do período de Schedule Permit) sem custo. Dentro do último mês, há custo para adiar (quanto mais perto da prova, mais caro). Na pior das hipóteses, se você não for na prova, não “roda”, apenas perde seu dinheiro, e, para remarcar, tem de pagar o valor integral novamente. Existe a possibilidade de adiar para APÓS o período de SCHEDULE PERMIT, mas também haverá um custo substancial. Ou seja, você não tem que fazer a prova se não quiser, mesmo que decida isso 1 dia antes.

Algumas dúvidas/informações importantes com relação aos Steps:

1) Se não passar na prova, há possibilidade de fazê-la novamente?
Sim, mas é recomendável passar de primeira. Em teoria, pode-se rodar até 6 vezes antes de não poder realizar a prova novamente.

2) O resultado da minha prova tem prazo de validade?
Sim, mas é longo: 7 anos.

3) Posso repetir um step no qual já passei se não tiver ficado satisfeito com a nota?
Apenas esperando os 7 anos.

4) Tenho de fazer os Steps em alguma ordem específica?
Não. Pode realizar essas 3 provas em qualquer ordem. Americanos costumam realizar o Step 1 após o 2º ano de Medschool, e os Steps 2CK e 2CS no final do 4º ano.

– Após concluir as 3 provas com sucesso, E TER SE FORMADO EM MEDICINA, solicita-se o ECFMG Certificate.

– Entretanto, esses são apenas os passos LEGAIS para poder aplicar no processo de residência nos Estados Unidos.

Passo 3) Estágios e cartas de recomendação

– Na hora de aplicar para a residência médica, além de comprovar o ECFMG Certificate, será FUNDAMENTAL ter experiência clínica prévia nos Estados Unidos.

– Essa experiência clínica deve ocorrer através de ESTÁGIOS, e será comprovada, na hora da aplicação, pelas chamadas Cartas de Recomendação (ou LoRs, Letters of Recommendation), as quais devem ser escritas pelos chefes de serviço nos quais o aluno estagiou, exaltando suas qualidades, etc. Ou seja, após realizar 1 mês de estágio, deve-se solicitar ao chefe da equipe uma carta de recomendação.

– Há diferentes tipos de ESTÁGIOS que podem ser realizados, e a nomenclatura às vezes pode ser um pouco confusa. Na prática, há dois tipos estágios, e uma diferença fundamental entre eles:

Clerkships/Electives: são os estágios chamados “HANDS-ON”, em que o aluno pode entrevistar E REALIZAR O EXAME FÍSICO do paciente. Ou seja, pode oficialmente encostar nos pacientes. Esse tipo de estágio SÓ PODE SER REALIZADO POR ESTUDANTES DE MEDICINA. Após formado, não há a possibilidade de realizá-lo.

Observership/Externship: são os estágios em que se pode entrevistar o paciente, mas não se pode realizar o exame físico. Ou seja, não se pode oficialmente encostar nos pacientes. Esse estágio tem um valor curricular menor que os “hands-on” electives. Esse estágio pode ser realizado tanto durante a faculdade como após formado.

– Com o ECFMG Certificate e as LoRs em mãos, chega a hora de aplicar. O processo tem início em Setembro, com a inscrição e o upload das LoRs, currículo, ECFMG Certificate e outros documentos. As entrevistas podem ocorrer em um período extenso (de Novembro até Fevereiro).

– Após as entrevistas, os candidatos devem “rankear” os programas (selecionar online os programas de residência nos quais deseja concorrer, em ordem de preferência). Após, se um dos programas rankeados selecionar o aluno (assim como o aluno o selecionou), ocorre o MATCH, e o aluno está classificado para iniciar a residência médica. Uma vez tendo rankeado e tendo “matcheado”, o candidato DEVE realizar a residência.

– Candidatos IMGs (formados fora dos EUA) costumam se inscrever para 100+ programas, para aumentar as chances de classificação. (A inscrição tem um custo, e quanto mais programas o candidato tentar, mais caro fica o processo. O custo, entretanto, não é linear).

Alexandre Mazzocato, acadêmico de medicina da UFRGS. Foi meu aluno durante um semestre em um grupo de estudantes de medicina. No momento está realizando os steps do USMLE.

Postado em 6 de março, 2016 | Blog | Nenhum comentário